sábado, 3 de julho de 2010

Palavras ao vento - Braz Campos Durso



Palavras ao vento - julho 2010 - Braz Campos Durso

No descompasso do coração
Não escuto nenhuma canção
No silêncio do meu peito
Arde duas palavras:
amor e dor

No desencontro de razões
Procuramos nossas emoções
Formas de pensar e agir
Incapazes de nos fazerem sorrir

Na solidão do meu pensamento
Um labirinto de sentimento
Espelhos refletem os caminhos
Por onde eu não sei

Se poderei seguir
Ou até onde ir
Sim, tenho medo
Não quero mais cair

As cortinas fecharam
Acabou o espetáculo
Não há o que perguntar
Nem 0 oráculo pesquisar

Apenas adeus
simples assim
como deve ser
todo fim











terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Fantasia (Braz Campos Durso)


Fantasia (Braz Campos Durso)

Sim
pensei que sim
senti e não percebi
foi tudo tão rápido
que nem ao menos
algo de concreto
aconteceu

Não
será que foi tudo em vão
provavelmente não
como num carnaval com
fantasias caidas no chão
sem entendermos a letra da canção
perdemos o desfile
no descompasso do coração

Me Deixa (Braz Campos Durso)


Me Deixa (Braz Campos Durso)

Me deixa
Sorrir sentir e ser feliz
Me deixa
Nascer a cada manhã
Sonhar, fantasiar
Nos seus olhos mergulhar

Me deixa
Eu te amar
A cada manhã
Poder vivenciar
Sua respiração
No meu corpo escutar

Me deixa
Sentir teu coração
Encostado no meu peito bater
Vibrar com toda emoção
Estarei sempre pensando
Em te querer

Me deixa
No encanto da beleza da lua
Em sonhos me perder
Enquanto as estrelas somem
No raiar da luz do novo dia
Poder lhe desejar
Todo dia um bom dia

Me deixa
Pois agora eu vou embora
Não sei nem ao menos
Que direção tomar
Mas nos sonhos buscarei
Uma nova jornada
Trancado em incertezas
Creio que chegou minha hora
Apenas uma coisa eu sei
Sempre te amarei

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Se Um Dia (Braz Campos Durso)


Se Um Dia (Braz Campos Durso)

Se um dia eu a fizer chorar
Espero poder recolher
Todas as lágrimas
Do seu olhar
Antes do dia findar

Se um dia eu a magoar
Espero poder trazer
Uma nova esperança
Algo que definitivamente
A lembre que sempre
Quero te amar
E do seu lado ficar

Se um dia o seu coração ferir
Sei que irei me machucar
Pois não há mais jeito
Estarei para sempre
Guardado no seu peito

sábado, 30 de janeiro de 2010

Introspecção (Braz Campos Durso)


Introspecção (Braz Campos Durso)

Pensei estar amando
ah ... que triste realidade
Tudo não passou
De um simples engano

Valorizei mais do que devia
Alguém que eu não conhecia
Pude ao menos expor
Aquilo que pensei ser amor

Tirei os pés do chão
Levado pelo coração
Pude constatar então
Sua ausência de emoção

Me tranquei na introspecção
E olhando para teu rosto
Talvez pela última vez
Simplesmente eu disse adeus

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Apenas Um Sentimento (Braz Campos Durso)



Apenas um sentimento (Braz Campos Durso)

Existem momentos
Em que nem mesmo
O mais nobre
Dos sentimentos
O verdadeiro amor
Consegue suportar
Toda essa dor

Essa incerteza
Risca suas palavras
Escritas com sabedoria
Registradas na minha alma
Limitando a sua beleza

Impossibilita-me até de enxergar
Claramente cada movimento
Cada jogada ou pensamento
Cessa toda e qualquer
Chance de lhe desejar
Prossigo sem reclamar

Procuro onde me apoiar
Não encontro nenhum suporte
Meus pés parecem flutuar
Não tendo mais onde pisar

Desequilibrado e fraco
Busco-a aqui do meu lado
E por isso ainda
Estou a te procurar

Porque sei
Que verdadeiramente
Irei para sempre
Querer te amar

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A Estrada - Braz Campos Durso


A estrada (Braz Campos Durso)

Difícil imaginar
Por onde irei passar
Talvez não percorra
Toda a imensidão que há

Somente irei
Até onde a alma deixar
Carregando comigo
Cada olhar que encontrar

Durante todo o trajeto
Agariando cada instante
Repleto de sentimento
E farto de conhecimento

Irei assim formar
Minha maneira de agir e pensar
E se um dia me perder
Durante a jornada nesta longa estrada

Lembrarei-me que um dia
Você estendeu sua mão
Enquanto eu ainda podia
Presenciar um novo
Nascer do dia

domingo, 24 de janeiro de 2010

Perdão (Braz Campos Durso)


Perdão (Braz Campos Durso)

Perdão
Porque sonhei

Pensei por um instante
Num breve respirar
Que pela frente
Estaria você
Sozinha esperando
Imaginando quando
Seriamos dois

Perdão
Porque acreditei

Como o simples
Ato de respirar
Que estávamos
Destinados
A juntos ficar

Perdão
Porque demorei

A perceber que
Até o tempo muda
O sol encobre a lua
E as estrelas
Apagam ao nascer
De um novo dia

Perdão
Porque em pouco tempo
Sonhei, Acreditei
Mas demorei
Para compreender
Toda a força e imaginação
Que preenchiam o seu coração

sábado, 23 de janeiro de 2010

Estamos com fome de amor (Arnaldo Jabor)



Estamos com fome de amor - ARNALDO JABOR (publicado no jornal O DIA)
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e
transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam
sozinhas e saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que
estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os
novíssimos “personal dance”, incrível. E não é só sexo não, se fosse, era
resolvido fácil, alguém duvída?
Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber
carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de
um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que
vão “apenas” dormir abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa
marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a
carreira, a produção.
Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como
voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão
distante de nós.
Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de
relacionamentos ORKUT, o número que comunidades como:
“Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” até a desesperançada
“Nasci pra ser sozinho!” Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em
meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase
etéreos e inacessíveis.
Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a
cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão
infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que
verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa
verdade de cara limpa.
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio,
démodé, brega.
Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer
ridículos, abobalhados, e daí?
Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e
falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo
pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou
muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca
mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso à
dois.
Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que
se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais,
pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o
dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser
estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out,
que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me
aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou
outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu
não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo
resto da vida”.

Antes idiota que infeliz !

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Convivência - Braz Campos Durso


Convivência - (Braz Campos Durso)

Convivência: Um somatório
De paciência, cumplicidade
Lealdade e amizade
Ou significa conhecimento
Segurança ou mesmo bonança ?

Convivência:
Na esperança de certezas
Na maioria das vezes
Encontramos surpresas

Convivência:
Acreditamos representar
Os ideais de dois
Contudo pode mascarar
O egoísmo de apenas um

Convivência:
Valorizando-a tanto assim
Esquecemos da verdadeira
Natureza do ser humano
Repleta de pensamentos e vontades
Em detrimento de uma
Consistente felicidade

Convivência:
Até onde poderemos ir
Num jogo de palavras
Existe até o ato de mentir
E como fica a dignidade
Na busca dessa tal felicidade ?

Convivência:
Buscamos a experiência
Mas será esta uma confiável
Fonte de referência
Para com o passar da idade
Mantermos a nossa felicidade ?

Convivência:
Fica aqui uma indagação
Será ela o mais importante
Para sermos realmente felizes
Durante todo e qualquer instante
Acredito plenamente que não
Posso até não ter a razão

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

transcende - a verdadeira vida (Braz Campos Durso)


Transcende-a verdadeira vida (Braz Campos Durso)

A verdadeira vida
transcende
será que alguém
me entende ?

Ao menos
se invente
experimente
ou por que não
simplesmente
tente

Apenas não
se deixe levar
pela inércia
ou pela estática
conquiste sua mente
vá em frente

Só não há como mentir
pois não poderá fugir
consciência, ética e moral
compõe a tríade
humana comportamental

sempre haverá
uma encruzilhada
que virá a seguir
desafiando você
a poder emergir

uma única decisão
poderá assumir
não aja apenas
com a razão
lembre-se
existe também
a emoção

e tudo isso pois
a verdadeira vida
transcende
será que alguém
me entende ?

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL !!!!!!


Pessoal
nessa época do ano temos de lembrar: é o momento de refletir a vida e nossas ações
muita paz e harmonia para todos nós
e que venha 2010 repleto de muitos sonhos para todos nós

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Capa oficial do livro "Sentir, pensar, reinventar e ser feliz" editora baraúna 2009


essa é a capa oficial com as orelhas
o livro dentro de 2 semanas estará a venda on line na editora baraúna
www.editorabarauna.com.br
muita emoção, amor e reflexão para quem for adquirir o livro
contatos comigo no e-mail: brazdurso@mac.com

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Livro: SENTIR,PENSAR,REINVENTAR E SER FELIZ (Braz Campos Durso)

Olha a capa do livro: SENTIR,PENSAR,REINVENTAR E SER FELIZ (editora baraúna)


Pessoal
gostaria de agradecer aos mais de 1200 que visitaram o perfil do meu blog e ao número bem maior que tem visitado e elogiado os textos aqui publicados
será lançado agora em dezembro o livro de poesias e crônicas/pensamentos baseados no material aqui postado
devido a razões contratuais terei de tirar algumas das poesias daqui
elas estarão presentes no meu primeiro livro de poesias/crônicas
o título é SENTIR,PENSAR, REINVENTAR e SER FELIZ
é a forma como eu procuro viver, sentindo plenamente , pensando, e sempre me reinventando para ser feliz sempre
agradeço a Deus por todas as oportunidades que tem me dado esse ano
por todas as pessoas maravilhosas que passaram a fazer parte do meu ciclo de amizades
e principalmente pelas surpresas maravilhosas decorrente dos textos aqui postados que fizeram novas amizades e até mesmo que amizades inimagináveis fossem possíveis
é o poder da internet e da comunicação
a todos e por tudo meu MUITO OBRIGADO

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Voando (Braz Campos Durso)



VOANDO (Braz Campos Durso)

Voando estou
De encontro
Aos sonhos

Enfrento as indecisões
Contorno as barreiras
Não me importando
Com possíveis
Interrupções

Nada irá parar
A forma como
Vejo o mundo
Sobrevoando a existência
Trilhando uma experiência

A cada não
Recrio um novo sim
A cada dúvida
Construo uma nova certeza
Diante da falsidade
Aprendo uma verdade

Até aonde poderei ir
So meus sonhos
Poderão me indicar

Então preciso sonhar
Pois dormindo
Voando estarei
De dentro dos meus sonhos
Uma realidade viverei

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Como pude (Braz Campos Durso)



Como Pude (Braz Campos Durso)


Como pude

Proferir tais palavras

Que deixaram você

Sem chão para pisar

E sem saber

Que rumo tomar


Como pude

Brincar com seu coração

Largar sua mão

Enquanto você relutava

Em acreditar que

Tudo ali acabava


Como pude

Partir sem olhar

Para trás e verificar

Aquela única lágrima

No seu rosto derramar


Como pude

Esquecer de todo o bem

Que um dia você me fez

E simplesmente ir embora

Não importando a hora


Como pude

Deixar o orgulho assumir

Ao invés de saber te ouvir

Melhor ainda seria

Com um beijo me entregar

A você que queria me amar


Como pude

Ao invés de conversar

Simplesmente me afastar

Cometer um grande engano

De dizer adeus

Ao invés de: eu te amo